Brilho

Sempre à espera que os seus dias brilhem!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

O teu abraço


Anda cá.

Traz daí esse abraço sincero, que carrega mil e uma palavras, e muitas muitas emoções.

Há dias em que o meu abraço não chega....


...tenho saudades do teu abraço quente, generoso, bom....



Até os bichinhos gostam...


domingo, 28 de outubro de 2012

Lisboa és um postal



Acerca do Lisbon Week não sei que diga, não sei que conte.

Já há muito que a alma e o coração se enchem de orgulho e pela boca só saem piropos à linda cidade, capital do meu país.

Dizem que Lisboa está na moda. Ainda bem que as modas não se ficam só pelas toilletes.

É bom estar na moda, quando a moda é ir porta fora....

Nunca os artistas estiveram tanto nas ruas, nunca as praças se encheram tanto de gente como agora.

É admirável ver o Martim Moniz povoado, o Terreiro do Paço ganhar vida, a Praça da Figueira inundar-se de cor.

Pensar que a Rua Augusta andou tantos anos abandonada......

A vontade de descobrir o que é nosso agudizou-se, nesta época de recessão, em que conhecer o que há lá fora pode muito bem ficar para depois.

A necessidade de nos reinventarmos urge!

O pulsar das mentes criativas sente-se quando se pisa a calçada.

O novo e o velho abraçam-se e já não há lugar nem tempo para lamúrias.

A caminho do Miradouro de Santa Luzia, souvenirs catitas

Doces tentações......Ai as feiras gastronómicas acabam com uma pessoa. Já não bastava o cheiro a castanha assada, ainda se lhe juntou o cheiro dos enchidos, dos queijos. As provas de compotas, as ginjinhas, chocolates........

Pensar no corpinho desta mulher ao fim do dia, assim passado, na Rua Augusta........Jesus!!!


Azulejos nossos, tão lindos!
Música de discoteca ao som dos batuques, no Chiado
Nem é preciso ir a uma sala de concertos...
Um autêntico postal

Que nunca as nossas mentes se cansem de sonhar, que nunca os nossos olhos se cansem de procurar beleza, onde mais lhes aprouver.

Lisboa, continua a bombar! Tens o mundo nas tuas mãos....

"Moço bonito" a entreter a malta...

Hu! Rendas pretas


Rendas pretas não caem bem só em lingerie....

A colarem-se aos braços e às pernas ficam tão bem!

Aplicadas em peças de roupa, por aqui e por ali....


Pois é....há que limpar os pêlos do gato, que está sempre à espreita!
 
I'm sexy and I know it! Olha para estas miúdas das fotos, a tentarem roubar-me o protagonismo.....

Assenta como uma segunda pele!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Confissões


Este ano vou ser uma pessoa mais organizada, mais metódica.

Esta frase estava escrita num papelinho que guardei, na mão, enquanto se dava a passagem de ano 2011/2012.

O ano já vai quase no fim e este objetivo só está parcialmente, mas mesmo muito parcialmente cumprido.

Contudo, não há como voltar atrás. Uma vez mais organizada, para sempre mais organizada! O caminho faz-se para a frente.

Toca a por um camisolão velho, umas calças de fato de treino e mergulhar em papelada, livros, gavetas sem fundo, pilhas de papéis intermináveis.

Primeira tarefa:

- Elaborar uma check list, para gerar motivação;

Segunda tarefa:

- Dar no duro, para atingir a perfeição.....


Ai que coisinha linda. tudo etiquetado e nivelado.....Ok, é publicidade IKEA, mas há que sonhar alto.
                                   
Material de arrumos económico! ...Ikea
 Terceira tarefa:

- Ir pedindo a Deus e aos santinhos que me auxiliem nesta dura batalha.

Última tarefa:

- Abancar no meio do escritório a gozar o prato e tentar não fazer voltar tudo ao estado inicial.


Os próximos episódios prendem-se com a épica tarefa de arrumar tapperwares e fazer corresponder caixas com respetivas tampas......

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

BOM, BONITO e BARATO

Ai não há, não.

Para mal dos meus pecados, não há botas nem botins de salto médio.

Tudo bem que o salto alto é elegantérrimo...



Estes maravilhosos são da Zilian

Mas será que os designers não se lembram da calçada portuguesa?

É que estes saltos são virtiginosos e podem deixar ficar mal as mais desajeitadinhas.

Precisa-se de botins todo o terreno, elegantes, please!



Origem desconhecida!
 Assim, do género destes, mas ainda com menos 2 cm de salto, já era nice.

Já nem vou falar de preços, pois o lema agora é BOM, BONITO e BARATO.

Está difícil preparar os presuntinhos para o inverno.

Tou quase quase a ir comprar umas galochas e a coisa está feita!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

A Super Mulher e o Joaquim Miguel



- Gostavas que o tempo voltasse atrás, era?

- Não, mas às vezes sabia-me bem ser outra vez criança - diz a Ana em resposta ao Miguel.
 
  Continuou em desabafo....

-  Há dias em que só me apetece correr e saltar, sair por aí a fazer travessuras, tipo gaiato endiabrado. E parece que, precisamente nesses dias, o mundo exige de ti uma enorme seriedade, compreendes? Sentes o mesmo?

Sem dar tempo para grandes respostas, avança....

- Quando só me apetece andar de jeans rasgados, t-shirt largueirona e ténis desbotados, coçar o "rabo das calças", lá tenho que sair para a vida, toda "ái não me toques", toda executiva, toda aperaltada. E há que ser doce numa altura, assertiva noutra, compreensiva com o Manel, distante com a Chuiquitita. Chiça penico, como diz a minha Mariana, às vezes é demais!

- Bem vinda ao mundo adulto, a que já pertences há uns anos largos.......

- Vê lá, vê, se queres apanhar, Joaquim Miguel!






Tudinho Haider Ackerman, para o Outono/ Inverno 2012/13 
 As imagens acima podem ser a inspiração para, nos dias em que a única alternativa que existe é mesmo seres a SUPER MULHER, não te apresentares como uma mulher/minhoca deprimida..........

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Anita na cozinha


- Posso ir para a rua brincar? - perguntava a Ana à tia Eduarda.

- Só depois de leres as páginas que te marquei.

- Ó tia, já está. Juro que já li.

- Já mesmo? Vamos lá ver isso....

Nas férias de verão era assim. Não havia gozo antes do trabalho e o trabalho, em férias, passava por ler um número prédefinido de páginas. Não havia volta a dar. Nem mas, nem meio mas.....

Ao princípio foi complicado, mas o bichinho da leitura ficou, desde esses tempos, cá entranhando.

A Ana contava-me com carinho, quando nos encontrámos para comer uma fatia de bolo de chocolate, no Kaffehaus, depois de termos passado pela Bertrand, para ver as novidades, que aquele foi um dos males necessários mais benéficos na sua vida e depois saiu-se com esta:

- Raios, mas porque é que a minha tia não me pôs a ouvir jazz ou umas músicas clássicas?  E porque é que não havia horas de costura ou de culinária? Por esta altura, estava-lhe ainda mais agradecida.


O famoso bolinho......
Pensar que eu, Maria Rita, era só mesmo vadiagem.

Contei-lhe alguns episódios de lutas femininas provocadas pelo jogo do elástico, dos campeonatos de jogo de berlinde e por aí fora.

- Arre, eras assim um bocadinho para o macho, não?
- Uma beca!

Por isso é que hoje, a Ana é um tanto ou quanto atirada para o intelectual e eu pareço uma eterna maria rapaz.

Jesus, nas férias, depois do almoço e até à hora do jantar era pura vadiagem! Ninguém me apanhava....

A nóia dos livros deu-me muitos anos depois. Da fase da infância/puberdade/primeiros pelitos a nascer não guardo quase livros, feliz ou infelizmente. Mas uns quantos da Anita, esses sim, faço questão de guardar lá por casa, porque eram os benjamins da minha mãe. Se sonha que não os tenho guardados ou que os dei a alguém ainda é capaz de me "chegar a roupa ao pelo", com esta idade.

Eram a coisinha mais "doce", as páginas do livro da Anita!




segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Corpinho singular


A temperatura desceu.

Já só me apetece estar enroscada no sofá, ao meu robe chinês de corpo inteiro.

Melhor mesmo só aquele camisolão grosso, branco, à pescador, que guardo há décadas e continuo a usar, quando estou a tiritar de frio, cá por casa.

Pois é....mas o Inverno não se resume a cházinhos, mantas, lareiras a crepitar, ver a chuva bater na vidraça, castanhas assadas, cacaus quentes, maratonas de home cinema e tantas outras coisas mais que se fazem no aconchego do lar.....

Há que por o pézinho na rua.

E todos os anos é a mesma coisa. Uma pessoa passa da chanata para as botas altas. Ó tempo, que não tens dó nem piedade.

Esta é a altura de andar tudo abandalhado. Casacões convivem, nas ruas, com mangas cavas. Ainda há dedos dos pés, de fora, que anseiam respirar e outros que gritam pelo aconchego de uma boa peuguete. É o salve-se quem puder.

Porque não posso sair à rua com o pijama polar (também, caramba, ainda é cedo), em jeito de inspiração, andei a ver umas coisinhas sexys e elegantes para não me deixar abater pelos primeiros ventos frios que se começam a sentir.

Aqui vão...

Gira, não, esta sainha bamboleante, que deixa ver as curvas?

Tommy Hilfiger inverno 2012/13

Imaginar-se a apanhar o autocarro, de perna ao léu, logo de manhã fê-la desmotivar?

A mim ía fazendo. Calma. Há solução! O segredo está todo na meia, num bom par de meias (mais um par extra para o caso de haver percalços ao longo do dia).

A calcinha que se cola ao corpo.....


Tommy Hilfiger inverno 2012/13

Bem sei que as meninas na imagem devem ter uns quinze, dezasseis anos e pesam no máximo cinquenta quilos, mas que se lixe!

Nisto das modas não há nada como adaptar o sonho à realidade dos nossos corpitos que recheados de imperfeições nos tornam singulares.

Homens, se pensam que este é um blog só para mulheres, enganam-se.

Aqui vão umas ropinhas que concerteza não vos deixariam passar mal nos dias frios....

Tommy Hilfiger inverno 2012/13
Tommy Hilfiger inverno 2012/13



Quanto aos corpos danone, o raciocínio é o mesmo....

Ups! ficou a faltar a roupa interior.....



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Para onde vais?



- Hoje estás com ar de quem vai sair - diz o Miguel à Carla.

- Ui, nem imaginas! Vou para a ostra.

- Para a ostra? Não conheço.

Pois está claro que não conheces, diz-lhe a Carla.

A Ostra é um sítio que tenho por hábito habitar quando sinto ameaças exteriores, ou quando quero fazer uns trabalhitos de introspecção, tás a ver? Topas?

Ostras com perfume de laranja, venham cá!

- É pá. És uma tipa estranha, curtida mas estranha. Vai lá para a ostra.

- A ostra é um espetáculo. Com alguma dedicação consegues imaginar-te, coberto por madrepérola e por aqueles bonitos lençóis de cetim. A sensação é a de estares num belo quarto de hotel, silencioso e perfumado. Tenho é pena de não conseguir produzir pérolas, como a ostra!!!


Balmain Fall/Winter 2012

O Miguel olhava para mim como se eu tivesse enlouquecido.

O Miguel é um tipo estranho. Como é que ele faz? Não tem ostra! Bizarro.....


terça-feira, 9 de outubro de 2012

As gentes cá de casa


Acordo um pouco antes de ouvir o telemóvel despertar as gentes cá de casa.

Ainda estás a dormir. De ronco suave, mas estás a dormir. Vou-te deixar ficar.

Enfio as chinelas nos pés e sigo até ao quarto dos miúdos.

- Olá amor. Bom dia. Dormiste bem?

Quartinho de criança, Ikea
- Sim mamã - diz a Margarida, a espreguiçar-se.

  Dá-me leitinho.


Quarto deveras catita, para criança, também Ikea

- João, filho, acorda. Vá, toca a levantar.

- Mãe, dá-me um abracinho.

- Ai filho, que tonta, como é que a mãe se podia esquecer!

  Anda cá meu matulão.

Ikea rock´s...isto é, é um regalo desfolhar o catálogo, ou ver tudo exposto, já montadinho, in loco, ai não!

As roupas deles ficaram de lado ontem à noite.

Só espero que a Margarida não se lembre de fazer birra à conta da toillete, como tem vindo a acontecer.

Deus brindou-me com uma filha que deve ser fashionadviser.

Enquanto aqueço os leites e faço as torradas, já tenho o Rodrigo ao pé de mim, a ajudar.

Isto de manhã é tipo fábrica.

Há uma linha de montagem muito bem estruturada. Importante é que não se salte nenhuma tarefa, senão está o caldo entornado.

- Está tudo a circular? - pergunta o Rodrigo, enquanto me segura pela cintura e me abraça.

- Sim capitão.

- Brinca, brinca.

- Daqui a cinco minutos, fora do banho menino!

- Pronto, está instalada a rotina militar.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Tu e o teu estendal



- Olha aquela descarada do segundo andar, com o estendal cheio de cuecas de fio dental e de rendas vermelhas!
Mais valia que olhasse para o marido. Nem é capaz de lhe comprar uma sunga nova....

Os mais metódicos, mais resguardados e tradicionais aprumam-se na hora de passar a roupa, da máquina, para a corda.

As meias são penduradas sempre na companhia uma da outra, os lençóis e as peças mais amplas ocupam a primeira linha, as cuecas, soutiens e tudo o que é de mais íntimo, salta para a fila de trás.

As molas são colocadas à mesma distância umas das outras e não se usam diferentes qualidades.

A roupa de cor é estendida em dias diferentes da roupa branca, para não manchar.

No verão é tudo virado do avesso.

Já os mais espontâneos, os menos comedidos exibem a  sunga, o triquini, a cueca de asa delta, a meia rota do filho, como exibem a toalha de mesa, a toalha de praia e outras tantas coisas do lar. Se for possível falar ao telemóvel ou fumar um cigarrinho em simultâneo, tanto melhor.  No estendal, assim como na vida, não há lugar a pudores. Roupa é roupa. O melhor é despachar. E se o vizinho cuscar, ainda melhor...coitadinho, precisava mesmo de alguma coisa para falar!

- Desde que se mudou para o condomínio já ganhou mais decoro, a desavergonhada. Ficou fina. Agora quase que estende dentro de casa.

- Ao menos já não lhe vêem as nódoas e a roupa rota, como "a gente" via.

- Anda, deixa-a andar. Mais tarde ou mais cedo o verniz há-de estalar.


                                             NÃO MEXAS NO MEU ESTENDAL










domingo, 7 de outubro de 2012

MODATEX até si!



Dia 11 de Outubro, nas Gallerias Garrett n.º 60, no Chiado, estarão presentes os oito jovens designers de moda, alunos no MODATEX, Centro de Formação Profissional de Indústria Têxtil, Vestuário, Confecção e Lanifícios, que, com todo o gosto lhe mostrarão as colecções Outono/Inverno 2012/2013, responsáveis pelo meu alegrar de olhinhos, sedentos de novidade, num final de tarde da semana que passou.

Este PROJETO estará por aqueles lados até dia 12 de Outubro e abre-lhe portas, das 15 às 20 horas.

Naquele dia tive sorte e apanhei o espaço pouco povoado. Qual lapa, colei-me ao António, autor da colecção ON MOVEMENT, que me proporcionou uma autêntia visita guiada por todos os trabalhos.





Com inspiração na coreógrafa Pina Bausch, a colecção On Movement pode ser observada, ao som da banda sonora do filme "O fabuloso destino de Amélie".
Paralelamente, um vídeo exibe uma modelo que enverga roupas da colecção e encena um pequeno bailado.
É permitido dar um pezinho de dança...
Fiquei fascinada (com vontade de trazer umas pecitas para casa) e deliciei-me com cada uma das colecções.
Felizmente, o último disparo da máquina fotográfica conseguiu apanhar a colecção KNOT, com forte influência Celta.


Aqui ficam mais umas imagens, para vos deixar com água na boca, do folheto de apresentação do projeto, que agarrei antes de me vir embora, cheia de remorsos por não ter carregado a bateria da máquima. Grrrrrrr......


Da Colecção En.Fol.Der, muito green e multiusos.

Da Colecção The Sense of an Ending, sensual e gótica, com um cheirinho (muito bom) a Ana Salazar.

Da Colecção Di Fora, feminina e fresca, porque pensada para os dias quentes de Cabo Verde, que curti, no espaço, ao som de música africana


Da Colecção Paradise, minimalista e futurista.


Da colecção de Diogo Gouveia, minimalista, masculinizada, inspirada na mulher que por necessidade arregaçou mangas e procurou trabalho, nas fábricas, fora de casa.
Da Colecção Mobius Strip, genialmente intrincada e simultaneamente depurada.

As bonitas meninas das fotos são manequins cedidas pela Central Models, para o projeto......


   .....A NÃO PERDER!

                                                                                                        



quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Uma boa história não falha



Mário Augusto dizia há uns tempos, no "5 para a meia-noite" que uma boa história dificilmente culminaria num mau filme.

"Terapia a dois" tem por base uma boa história, a recuperação de um casamento com trinta anos, quase apagado pela rotina, quando todos os indicadores pareciam apontar para um maior desgaste ou para a ruptura, e efetivamente dela resulta um filme muito interessante.

O  mote neste processo, cheio de altos e baixos, é dado pela mulher, Maryl Streep, que após casar os filhos e passar a viver, de novo, sob o mesmo tecto, sozinha com o marido, Tommy Lee Jones, anseia recuperar a paixão, a comunicação, os gestos de amor, que ao longo do relacionamento, entre os dois, se foram perdendo e teimam em não renascer.

Maryl Streep parece uma panela de pressão prestes a explodir, perante a incapacidade de operar a mudança. Sente-se a frustração daquela mulher, sente-se o esforço, a necessidade de romper a apatia e solidão que lhe dominam o dia a dia.

Durante a exibição do filme, chega a sentir-se vontade de puxar o homem pelos colarinhos, para o chamar à razão.

Steve Carell é o brilhante terapeuta de casais a quem Maryl Streep recorre, após devorar secretamente o livro e as apresentações do trabalho na internet, que auspicia uma vida feliz a dois, quando ainda existe amor e empenho.

Sem contar ao marido, Maryl Streep agarra nas poupanças e investe num processo terapêutico intensivo, a dois. A apostar as últimas fichas, empurra um marido forreta, resmungão, pessimista, carrancudo, distante e céptico para o que este acha ser o abismo.

Tremendamente amedrontado quando confrontado com a árdua e sofrida tarefa de se ver esmiuçado e à relação, Tommy Lee Jones avança com todas as defesas e inicialmente não dá tréguas à mulher, ao terapeuta e à terapia.

Interessante é assistir a cada momento da evolução desta cura dos males do coração, que começa com o casal sentado nos extremos opostos do sofá....


mas avança, lentamente e com muito trabalho prático....


na descoberta da intimidade que entre os dois já não existia.


Maryl Streep interpreta uma mulher corajosa, doce e resiliente, empenhada em voltar a ter o marido de volta ao quarto de casal e a ter dele tudo a que se tem direito da pessoa que se ama.

É comovente sentir as saudades que esta mulher tinha deste homem e acompanhar o render deste homem ao amor e paixão, que julgava adormecidos, pela mulher.


O casal vai ganhando anos de vida, e a plateia vai-se rindo e emocionando.

Afinal, é sempre bom asssistir a finais felizes.