Brilho

Sempre à espera que os seus dias brilhem!

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Música Clássica, Vestido Preto e WC

Vontade de ir até Viena de Áustria ouvir um concerto de música clássica.....

Na impossibilidade de satisfazer esta necessidade primária, dado o avançado da hora e toda a maçada inerente à preparação de uma viagem, assim, em cima do joelho, faz-se a chamada viagem "espiritó-sensorial", que consiste, neste caso em particular, no seguinte:


1º fechar os olhinhos bem fechados e imaginar um belo cenário



2º Imaginar que se está a fazer a entrada triunfal no salão, com um vestido preto, cabelo apanhado e óculos de moça endiabrada, que nos sentamos na cadeira ao lado do casal de meia idade, que cumprimentamos com um distinto aceno de cabeça, que afagamos a estola que nos cobre os ombros, colocamos a clutch na cadeira vaga ao lado e somos todas charme e ouvidos.

                                                                           Moschino       

3º googlar ou youtubar até encontrar banda sonora que se ajuste ao momento e local
     http://www.youtube.com/watch?v=3p1mHUD_PEY&feature=related

4º Curtir o som, inspirar e expirar até se sentir muito bem a atmosfera da coisa, até as entranhas estarem carregadinhas de "cóltura".......

Já está a ouvir? Que maravilha! .....é momento de se deixar abandonar ao som de Strauss......
..........................e relaxar, relaxar, usufruir, até sentir a mão dele a tocar a vossa, coberta pelas luvas pretas de cetim.

   Pausa......Não, não é o senhor do casal ao lado que a está a assediar!!!! O que já p'rái vai..adultério imaginário austríaco da terceira idade!

   Não, a coisa não toma esses rumos....

   É o Fernando, que acaba de chegar do WC e está meio desorientado com os lugares!

  Toca a regressar! Viagem imaginária muito próxima da real.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Amarelo, laranja e branco

Enquanto esperamos a chegada do verão e vamos recebendo uns tímidos raios de sol, como quem recebe moedas de euros em tempos de crise, o amarelo apresenta-se como uma forte promessa para os dias mais quentes.

Do amarelo ácido até ao amarelo oiro, há muito por onde escolher. Até há amarelo na peuguete!





                                                      Óscar de la Renta S/S runway 2012 

Os laranjas e laranjas avermelhados também se farão notar....




                                                        Óscar de la Renta S/S runway 2012



E como no verão não se resiste à bela da peça branca, aqui vão umas propostas ( que chegam até à peuguete branca.....não, não vale ir buscar a peuguete branca da raquete ao armário!) com rendas, muitas rendas.





                                                        Óscar de la Renta S/S runway 2012

August Bradley

Descobri August Bradley e um misto de fotografia de moda dramática, pintura, histórias contadas e muita, muita sensibilidade literária nas imagens, como o próprio diz.

Muito trabalho de luzes e uma grande certeza mental do que quer reproduzir.

Valeu a pena servir de assistente de fotografia à mãe, aos cinco anos de idade.





A página do fotógrafo está repleta de preciosidades.

Já chovia!

Enquanto escolho umas peças de fruta, fito pelo canto do olho a D. Augusta, cabisbaixa. E que melhor tema para levantar o ânimo?

- Já chovia, não era D. Augusta?

- Pois é, é preciso. Para os legumes crescerem, firmes e hirtos, para acalmar estas alergias. O negócio assim anda fraco!

- Deixe lá. Parece que ela já esteve mais longe! E quando vier deve vir com força! Já se sabe.

- Lá nisso tem razão menina Luísa. Não há fome que não dê em fartura, já diziam os antigos.

- Não quer levar uns bolinhos?

 - Não obrigada D. Agusta, vão só mesmo estas pêras rocha.

- Então bom dia, até amanhã menina.


Realmente, para além de todos os motivos expostos pela D. Augusta, há mil e uma razões pelas quais já apetece ver chover.

Apetece ver chover pela vidraça da janela...


Apetece fazer umas corridas ou danças loucas à chuva....



Ou esperar/desesperar por uma bela companhia, debaixo de um telheiro, enquanto chove...


                                                              August Bradley Photography


Pois .....
Tomara que chova....


Agarro na  D. Augusta, num molho de alfaces, e fazemos um ritual dançante à chuva, em agradecimento aos deuses.

A seguir compro-lhe um bolo!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Desfile em casa

E não é que ontem houve desfile privado lá em casa?

- Foi? Não me digas?

- Pois!

- Só tive que escolher o vestido!

- E o que é que escolheste?

Romântico, esvoaçante, e simultaneamente ousado!
Aquele pelo qual me atiraria red carpet abaixo!

- Olha, escolhi um modelito, simples, mesmo muito simples, para o fim-de-semana!

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Nikita morena, em Lisboa

Encontrei!

Encontrei uma Nikita morena, ao entardecer, em Lisboa.



Gorro - estava lá
Casaco militarão - estava lá
Luvas de pele - estavam lá
Bota militarona - estava lá

Tudinho vintage! lol

Só faltavam as tropas

E eu que pensei que a Nikita tinha ficado por outras terras, lá, onde o Elton John não a conseguíu agarrar, à conta de tanta tropa e arame farpado.

Ainda estive um bom bocado a cantar .... Nikita you will never know....ora oiçam aqui, para recordar e cóorrrrtiri!

Boca vermelha

Antes de sair, apressada, passo em frente ao espelho da casa de banho e pinto a boca de vermelho.

Ainda hoje detestas que use esta côr de lábios, apesar de me teres conhecido a usá-la e a abusar.

Olha, paciência! Tem mesmo que ser.

Com a moral ao nível da superfície, como não podia deixar de ser, numa segunda-feira às sete horas da manhã, a Maria por um braço e de lancheira na mão, o batom vermelho recoloca-me no sítio onde devo estar.

- Ó mãe, também quero pintar os lábios!

- Não há tempo filha. Temos o pai lá em baixo à espera. Vá, toca a vestir o casaco e a zarpar.

Por mais que renegues o meu batom vermelho, eu teimo em usá-lo. E a tua filha já parece gostar.

O batom vermelho é sexy, quer queiras, quer não. E nestas matérias, não ditas sentenças!



Fica bem a ruivas, loiras e morenas, ou vais dizer que não?.....




À espera de nós, fazes-me aquele olhar!

Sento a Maria lá atrás e quando já estou devidamente instalada, digo-te:

- Imagino que não queiras que te deixe uma marca no colarinho, logo de manhã....


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Flapper...franjas e franjinhas

Flapper dresses, que é como quem diz, os vestidinhos das franjas, do Charlston.....

Dos anos 20....



Estão de regresso!


                                                             Gucci runway Spring 2012


Até apetece dançar!

Ça c'est Paris

Ao som de Ça c'est Paris, sentada na poltrona bordeaux, virada para a janela, cumpro o ritual.

De robe e pernas traçadas, deixo-me alí estar, em silêncio, a fumar um cigarro, enquanto beberico um pequeno copo de licor, estrategicamente colocado na mesa ao lado, para afugentar os males, e contemplo o que se passa lá em baixo.

As luzes da cidade tapam a escuridão da noite que caíu. Ouve-se música e gargalhadas.

Sei que o Jerôme vai bater à porta dentro de cinco minutos e que tenho pouco tempo para dizer ao corpo que se esqueça do cansaço.

Apago o cigarro, levanto-me e olho-me ao espelho.

Sou a mesma, de ontem e de há dias atrás. As rugas aos contos dos olhos, essas sim, são novas e dão as boas vindas às demais que querem surgir.

Componho a franja, levo as mãos à cintura e faço poses de mim para mim.


Mistinguett, Paris


- Para o camarim Sophie! O espectáculo está quase a começar!

Moulin Rouge Backstage
 

sábado, 18 de fevereiro de 2012

É Carnaval? Ups! Não sabia...

Os Carnavais andam cada vez mais apagaditos.

Ainda sou do tempo em que se sentia a chegada do verdadeiro Carnaval, daquele carnaval do vale tudo!

Gaiato que era gaiato andava num lufa lufa com bisnagas de água, farinha, ovos e demais artefactos. Geralmente, gaiata que era gaiata fugia destes gaiatos ou então, passava-se e, juntava-se a eles.

Macho que era macho aguardava, com anseadade, que na TV passasse o Carnaval do Brasil, para ver uma mamita, um rabito a rebolar, um samba no bé e os corpitos a transpirar.

Fémea que era fémea também entrava em frenesim porque, no meio deste "rebolé", era possível  fazer uma auto-análise à sua condição física.



Cor, alegria, sambódromo, som dos batuques!!

Depois, a boa da mulher portuguesa, ciumenta, também foi mostrar a sua mamita para a rua, apesar do perigo de congelamento. Pois que a mulher portuguesa até tem mais peitaça que a brasileira!!!!

Então, a malta tuga vai ver os desfiles de Carnaval e muito bem, que o que se quer é folia.

Mas apesar dos nossos esforços no samba - e do despiquezito entre nós e os manos do Brasil, há séculos, nestes assuntos do Entrudo - parece que somos bem melhores a levar a sátira política, as matrafonas e os cabeçudos aos Carnavais. Então a fazer bailes de Carnaval nas associações e clubes recreativos, nem se fala. Aí é que é! Viva a serpentina, os pepelotes, a mini e a febra!




É bom ser bom, a foliar, à boa maneira portuguesa!

Bom Carnaval!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

É mesmo de Artista!


Quando as palavras quebraram os silêncios do cinema mudo, os artistas, até então, entraram em declínio e as novas estrelas, que aos gestos vieram acrescentar sons, conheceram a ascensão.

Entre o velho e o novo, ficou a transição, o caos, o abismo do desconhecido.

Em o Artista, a redenção não se atingiu, regressando a um passado em que o silêncio valia ouro, negando olhar em frente....


...nem vestindo brilhante roupagem nova - sons - ao que era antigo, escancarando portas a um futuro que não lhe pertencia.


                A redenção deu-se com a construção do "diferente", no presente, pelo antigo e pelo novo,  através do movimento.


                          Sempre com a ajuda de grandes amigos e de pequenos grandes amigos.....


Imperdível!

Por tudo!

Pela mensagem, pelos pormenores, pela banda sonora, pelos cenários, pelo brilhante guarda roupa de época, pelas imagens a preto e branco, pela pureza, pela expressividade dos actores, pela ternura do "fiel escudeiro" do artista....

Pela tranquilidade das imagens e planos, que fazem esquecer o alucinante mundo do fast food finematográfico.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Suspiros à hora de almoço

À hora do almoço, em conversa com o Sr. Amaral, ao balcão do snack-bar:

- Feliz dia dos namorados Sr. Amaral...

- Ai, nem me diga nada!

- Então?

- Ai!

Seguido de um suspiro.

- Ai, uma flutezinha de champanhe com morangos lá dentro.

- Pois, pois, percebo-o.

- E não podia ser com aquele mix de frutos silvestres?

- Nada disso! Com morangos......Até era capaz de transformar o morango numa bela rosa. Depois era só vê-lo cair dentro do champanhe. Ou então morangos cortados em pequenos pedaços....

- Olhe, já que tanto fala, pode sair uma flute para mim!

Seguiram-se risos.

- Era bom era. Flute até tenho, um moranguito ainda aqui desencantava, mas champanhe já não!

Valeu a intenção.

Para si, Sr. Amaral, aqui vai...

                                                                             Saúde!

Ao macho e à fémea

Faz falta ao homem e à mulher, ao macho e à fémea.

Ao homem para usar quando passa uma garina jeitosa.... à mulher quando passa um Clooney.....

A ambos, para chamar um taxi, para acompanhar uma canção.

O pior é quando a arte de juntar os beicinhos não faz produzir qualquer som.

Não haverá por aí workshops de assobios?

Há o assobio envergonhado e quase silêncioso, o mais gaiteiro e o estridente.

Este último é o que mais invejo. Aquele em que, com os dedos enroladinhos e bem ajeitadidos entre dentes, com a língua enrolada, sei lá bem onde, nos fazemos ouvir noutro continente!




Este é o verdadeiro profissional, que assobia o Hino Nacional, de certeza!

                                                 Esta também é uma modalidade engraçada...

Aqui vos deixo uma musiquinha cheia de assobiadelas.....

                                                                                        do André Sardet

Dedico-a aos pombinhos atacados pelas flechas do cupido, neste dia de S. Valentim que pode estar, para uns, a acabar, ou para outros a começar....hi hi!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Eu, tu, o mar, uma tarde de sol de inverno e um belo vinho tinto

Despachei-me por volta das 15:30 da interminável reunião de condóminos.

Vesti uma camisola de gola alta quentinha, agarrei as calças de ganga, que à noite havia de por a lavar, calçei as meias mais grossas que tinha e escolhi as botas altas rasteiras, já em corrida para a porta.

Pûs o meu velho Peugeot a funcionar e, ao som de Florence and the Machine, e de um vibrante shake it out, a passar na comercial, fiz-me à estrada.

- Miguel, saí agora. Estou ligeiramente atrasada. Vai andando p´rá esplanada e pede o habitual. Mais ou menos 15 minutos e estou aí.

Fazer a marginal até Cascais produz em mim um efeito psicológico semelhante, ao que penso que teria, ao ir de avião até à Côte d'azûr.

Estrada fora, a 50/60 Km, para não fazer disparar os sinais vermelhos, sinto-me a mulher mais Wild de Portugal e arredores.



Começo a ver o mar e o sorriso invade-me a cara. É rápido até me contagiar a alma.

Apesar do frio de rachar, que se sente, o sol é meu companheiro durante toda a viagem.

Saio do carro e avanço até à esplanada. Ele já lá deve estar, em modo congelado.

Calço as luvas pelo caminho e enrolo ainda mais o cachecol ao pescoço, até fazer o efeito "rôla".

Desço as escadas até à esplanada e voilá. Dois copos de vinho, o mar alí tão perto, a espuma das ondas a encostar-se à areia, o brilho dos teus olhos e os últimos raios de sol para aproveitar.


Musa de Karl Lagerfeld

Florence Leontine Mary Welch é a musa de Lagerfeld.
Entende-se porquê.
Corpo esguio, traços finos de rosto, olhos gigantescos e cabelo ruivo encandescente.




Até aqui, está tudo bem.
Mas porque é que se lembraram desta risca ao meio, no cabelo, peregrina?



Talvez se procurasse um look andrógino. Se era isso, conseguiu-se.

Prefiro-a na versão feminina dark e não nesta versão máscula.

Esvoaçante, em vestidos Gucci....

Torço o nariz!!!

Ao menos não se pode dizer que não há versatilidade.

Em relação às músicas e letras, em nada torço o nariz.

Absolutamente fantásticas.