Brilho

Sempre à espera que os seus dias brilhem!

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Streaptease

Tenho pensado nas piquenas que fazem o bendito steaptease e no frio que devem passar.

É uma profissão engraçada para o verão, mas imagine-se o que passam agora?

Deve ser ingrato. Alguém se preocupa em cobri-las com roupões depois do espectáculo?

Não sei não. Parece-me que essa parte é descurada!

Pois que a pensar nas temperaturas a que a pequenada está sujeita, fui ver as origens da arte do Steaptease, traduza-se, do despir para provocar, para saber se se passava tanto frio como agora.

A comediante Mae Dix, em 1917, numa espécie de stand up comedy no National Winter Garden, decidiu, entre graças espirituosas e na maior das ingenuidades, para não manchar a gola do traje com suor, retirá-la, o que levou a plateia, maioritariamente masculina, ao rubro.

Como não era moça parva, logo se atreveu (grande doida!) a retirar os punhos da farpela. Daí até abrir os botões do vestido, foi um instante.

Os donos do National Winter Garden, que tinham olho para o negócio, trataram de arranjar maneira de a performance se repetir.

Parece que nasceu então o streaptease, softzito, sem grandes arrepios, porque não havia um total despojamento de roupa.

Mas consta que já no séc. XIX havia umas aventureiras, nos teatros burlescos, a fazerem quadros vivos de nús, que retratavam cenas clássicas de pinturas e passagens históricas. Não podia haver movimento. Tinham que estar sossegaditas.

Embora a temperatura começasse a descer, ainda não era preocupante. Às vezes, usavam-se tecidos coleantes, numa imitação de meia para evitar grandes choques.

Ou a coisa era feita assim, ou vai de multa pesada, porque não se podia uma babe despir sem motivo artistico, assim, por dá cá aquela palha, ou fazer movimentos mais serpenteantes.

Se calhar, o legislador pensava no perigo das correntes de ar.

Era dificil exercer o ofício naquele tempo.

Lili St. Cyr havia de fazer uma visita à "xoldra" à conta do seu famoso banho em cena.


Depois foi o desvario, o salve-se quem puder e o dar o corpo, "literalmente", ao manifesto. As gripes começaram a aumentar, mas a venda de Cêgripes disparou.

Passou a haver steapteases para todos os géneros e feitios, totais ou parciais, mais ou menos artísticos, sem haver necessidade de fazer alusão a passagens históricas!!!

Tal como há classe e arte no vestir, procurei pela classe e arte a despir.....e encontrei.



                               Natalie Portman para a revista do " New York Times"


Agora há uma vertente da arte do "despir para provocar" que me inquieta/fascina, o Pole Dance, mas que me despreocupa simultaneamente.

Ora vejamos:

A moça entra em cena e tem inúmeras coisas para fazer, desgraçada.

Para além de ter que se despir de forma sensual, tem que ter planeada uma forma igualmente sensual de se atirar ao varão, assim, sem qualquer motivo aparente e sensualmente passear-se por ali acima, por ali abaixo, enrolando-se, desenrolando-se, colocando-se de cabeça para baixo, projectando as pernas para os lados, enfim, uma canseira. Exercício físico do duro.

Parece ser uma tarefa inalcansável. Mas não.
Há quem consiga.
Ó p'rá Jenyne Butterfly.....




Impressionante, artístico, elegante. E parece que está na maior. Imagine-se que uma pessoa decide experimentar uma brincadeira destas, sem ajuda profissional...quais traumatismos craneanos, quais cãimbras, quais distensões musculares.

À parte das possibilidades de lesões, da extrema canseira, o que me preocupava era o frio que as babes podiam passar.

Mas neste percurso pelas variantes do streap esta despreocupou-me, porque só de ver as imagens acima, e em pleno Inverno, já me enchi de suores e calores. Imagino como ficarão as executantes da arte!

Parece-me então que, para o Inverno, está será a melhor versão.

Depois desta pequena viagem, deixo-vos tecer as vossas considerações.....

3 comentários:

  1. é uma arte quando se sabe ..
    provocar com estilo , sex appeal é uma arte... o frio ...bom o frio passa depressa

    ResponderEliminar
  2. Menina sopa de letras esse comentário soou-me a conhecimento por experiência própria ;) Ihihihihih

    ResponderEliminar